Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Obstrução da "lava jato"

Acusado de tentar evitar delação premiada de Nestor Cerveró, Lula vira réu

O juiz da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília Ricardo Leite aceitou denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal e transformou em réus o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). Além deles, também respondem à ação penal o ex-chefe de gabinete de Delcídio Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Edson Ribeiro, o fazendeiro José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai.

Lula foi acusado por Delcídio, em depoimento de sua delação.
Roosewelt Pinheiro/ABr

Todos eles são acusados de tentar obstruir a Justiça por meio da compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró enquanto ele negociava acordo de delação premiada com a força-tarefa da operação “lava jato”. A decisão vem após o MPF aditar a denúncia nessa quinta-feira (28/7) para ampliar a descrição dos fatos e as provas.

Os fatos denunciados motivaram a prisão, no ano passado, de Delcídio. A prisão foi embasada por uma gravação apresentada à Procuradoria-Geral da República por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor. Segundo a procuradoria, o senador ofereceu R$ 50 mil por mês para a família de Cerveró e mais um plano de fuga para que o ex-diretor deixasse o país. Já Lula foi acusado por Delcídio, em depoimento de sua delação, de atuar em conjunto com Bumlai e Esteves para com interesse de “esconder fatos ilícitos” que os envolvia.

Por isso, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ofereceu denúncia no Supremo Tribunal Federal contra Lula, Delcídio, Esteves, Ferreira, Ribeiro e os Bumlai. Porém, quando Delcídio perdeu o mandato de senador, o ministro Teori Zavascki remeteu o caso para a Seção Judiciária do Distrito Federal.

Na ocasião, ele não acolheu o pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que os autos fossem encaminhados à 13ª Vara Federal de Curitiba, por entender que os fatos não têm pertinência imediata com as demais investigações relacionadas às fraudes investigadas no âmbito da Petrobras pela operação “lava jato”.

Clique aqui para ler o recebimento da denúncia.

Revista Consultor Jurídico, 29 de julho de 2016, 16h28

Comentários de leitores

6 comentários

Parcial

Professor Edson (Professor)

Ainda bem que o país não é feito somente por oportunistas parciais sustentados com dinheiro ilícito, ainda bem.

Lula

Professor Edson (Professor)

A casa caiu Lula.

competência do juízo

Roberto das Graças Alves (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

curioso. no dia 15.07 o mesmo Juiz que aceitou a denúncia declinou da competência da 10ª vara em razão de sua especialização. pela movimentação processual, parece, o feito foi redistribuído para a 2ª Vara. curiosamente, após retorno do MPF o Juiz "esqueceu" do despacho do dia 15.07 e decidiu nos autos. merece verificação !

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.