Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Gravações da delação

Fachin autoriza abertura de inquérito contra presidente Michel Temer

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, autorizou nesta quinta-feira (18/5) a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer. Ele é acusado, em delação premiada homologada pelo ministro, de incentivar o pagamento de R$ 500 mil ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que não fizesse acordo de delação. A Procuradoria-Geral da República investigará crime de corrupção passiva e obstrução a investigações.

Supremo autoriza abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer.
Divulgação

As informações foram prestadas à PGR pelo empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, que apresentou gravações da fala do presidente. As gravações, segundo a PGR, aconteceram no dia 7 de março — depois, portanto, que Temer assumiu o mandato de presidente como titular, após o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Fachin também deferiu pedidos da PGR para afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-RR), mas negou pedido da PGR para prender preventivamente os parlamentares. Eles são alvo de operação deflagrada nesta quinta. A irmã do senador, Andrea Neves, foi presa nesta manhã.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão no Congresso Nacional, nas casas dos investigados e no Tribunal Superior Eleitoral. Na corte eleitoral, as buscas foram na Procuradoria-Geral Eleitoral, que tem sede no mesmo prédio. O alvo foi o procurador da República Ângelo Goulart Villela, também preso nesta quinta.

Todos os pedidos foram feitos pela Procuradoria-Geral da República com base na delação premiada do empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS. O jornal O Globo divulgou na quarta-feira (17/5) trechos da delação, que está sob sigilo.

Segundo o jornal, Joesley apresentou gravações de conversas em que o presidente Michel Temer aparece incentivando o empresário a pagar uma mesada a Cunha para que ele não faça delação premiada.

O senador Aécio Neves, que já responde a seis inquéritos no STF, também teria sido gravado pedindo a Joesley Batista R$ 2 milhões, dinheiro que seria utilizado para pagar sua defesa na operação "lava jato". A irmã do senador, Andrea Neves, teria feito o primeiro contato com Joesley Batista, em nome do senador.

O deputado Rocha Loures também teria recebido da JBS valores indevidos. De acordo com as informações divulgadas, os valores foram pagos com notas rastreadas e a entrega, filmada. Segundo o jornal Globo, a Polícia Federal teria rastreado o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), que também é alvo de busca e apreensão.

*Texto alterado às 15h44 do dia 18/5/2018 para acréscimo de informações.

Revista Consultor Jurídico, 18 de maio de 2017, 14h35

Comentários de leitores

7 comentários

Pesos x medidas

Hilton Fraboni (Administrador)

Até quando os guardiões das leis aplicarão medidas diferentes para pesos iguais submetendo a interpretação é a reação ào CPF da vítima e não ao ato infracional?

O retorno dos moralistas

O IDEÓLOGO (Outros)

Forças exógenas, provocadas pela perda profunda da ética na política, causando desesperança no povo, costumam ser invocadas como expressão da lei e da ordem.
O futuro revelará a incompatibilidade do brasileiro com a Democracia.

Entre a cruz e a espada...

Adv. Jackson Oliveira (Advogado Autônomo - Civil)

Nunca, em tempo algum, estivemos, literalmente, entre a cruz a espada. Dos tribunais federais, desenbaiamos espadas para decepar cabeças dos políticos corruptos (quase a totalidade deles) e servidores públicos em geral, que fazem do Brasil uma colonia de mão-de-obra imbecil, não menos corrupta, herança maldita que ainda circula no nosso sangue de ladrões da coroa portuguesa, dos piratas franceses, ingleses e holandeses...Porem, decepando a cabeça daqueles que a maioria de nós mesmos colocamos no Poder, a trôco de um botijão de gás, um milheiro de tijolos, 50 reais ou um tapinha nas costas ao estilo do beijo de judas ou enganados por fascistas e demonios travestidos de salvadores da pátria, acabamos na cruz, pagando por estes nossos pecados. E nesta cruz, nos espinhamos na falta de governabilidade, inflação, desemprego, situação que vai piorar na saúde, na educação, no social, dentre outros pregos que ja começam a nos serem fincados na palma da mão após ser levado à guilhotina, nos ultimos dias, a cabeça do Senhor das Mãozinhas, Presidente Temer, dividindo o espaço com os demais encabeçados em outras guilhotinas, dentre os quais, o Senhor Dedinho Lula da Silva e Dilma - A louca. Entre a cruz e a espada, nós, Zé Povinho, preferimos a cabeça deles nas espadas e nossas mãos na cruz. Auto destruição de toda uma gente imbecil que somos, não importando o grau de instrução, eis que todos, sem distinção, analfabetos e graduados, ricos e pobres, pobres e miseráveis conduzimos ao poder os que, hoje, decepamos ao tempo em que autoflagelamos na cruz.

Ver todos comentáriosComentar