Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ação por omissão

Integrantes do MP pedem reajuste salarial ao Supremo Tribunal Federal

Três associações de membros do Ministério Público foram ao Supremo Tribunal Federal para tentar obrigar o Congresso, o próprio STF e o procurador-geral da República a dar um aumento para a classe.

Em uma ação direta de inconstitucionalidade por omissão, os promotores e procuradores buscam a revisão anual da remuneração dos servidores públicos e dos subsídios dos magistrados, prevista no artigo 37 (inciso X) da Constituição Federal.

Na ADO, a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) afirmam que os projetos de lei enviados ao Congresso Nacional, que tinham por fim dar cumprimento à garantia de revisão geral anual dos subsídios da magistratura e do Ministério Público, não foram integralmente respeitados.

De acordo com as entidades, leis oriundas de tais projetos demonstram que os índices pleiteados não foram concedidos, o que caracterizaria afronta à garantia da revisão anual.

As ações afirmam, ainda, que houve omissão da Presidência do Supremo e do procurador-geral da República, por terem deixado de enviar, tanto em 2016 quanto em 2017, projetos referentes aos reajustes anuais de 2017 e 2018.

O não envio desses projetos ao Congresso Nacional também afrontaria a garantia de revisão anual dos subsídios dos membros do Ministério Público, uma vez que o subsídio dos membros do MP da União é vinculado ao do procurador-geral, enquanto que o subsídio dos membros dos MPs estaduais está vinculado ao subsídio dos ministros do STF.

Pedido de magistrados
No dia 31 de agosto, o ministro Edson Fachin rejeitou o trâmite da ADO 42, na qual a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) alegaram omissão do Congresso Nacional e da Presidência do Supremo quanto ao cumprimento da garantia de revisão anual dos subsídios dos ministros da corte, que afeta de forma imediata a fixação dos subsídios dos demais membros da magistratura brasileira. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

ADO 43

Revista Consultor Jurídico, 5 de setembro de 2017, 14h00

Comentários de leitores

5 comentários

Aumento!

Karlos Lima (Oficial de Justiça)

Todos eles merecem aumento. Porque trabalham demais. Os servidores do Judiciario é que nada fazem. Lutam a mais de dez anos pra ter o reconhecimento de um direito que o Ministro Gilmar e os demais negam. 13;23% que os servidores vem lutando para ter reconhecido no STF. Esse direito foi usurpado pelo larápio do Lula e sua gangue, junto com Michel Termer e sua quadrilha. A Anajustra ingressou com à ação e foi dado o direito aos servidores nos tribunais de receberem. Agora o STF quer negar através de uma sumula vinculante criado pelo digno Ministro Gilmar, defensor dos corruptos e da quadrilha do Temer. Direito aos pobres. Nada! Aos ricos tudo...

Rídiculo

edu tavares (Defensor Público Federal)

O subsídio deve sim ser reajustado, pois desde 2015 não teve revisão anual. Contudo, antes disso a sociedade deve exigir que o Ministro FUX tire a bunda de cima do processo do auxílio-moradia e paute para julgamento. Não o faz porque sabe que é ilegal, imoral e seus pares o derrubarão facinho( vários já declaram isso). A LOMAN exige lei e a LC75 do MP o restringe para casos específicos. So em um país como o Brasil uma liminar vigora sem prazo de julgamento causando prejuízo de 1 bilhão por ano. Todos sabem que foi o contraponto a negativa de reajuste. Isso sem contar o incremento da substituição em caso de vacância que foi invetado um tal de limite de acervo para tidos ganharem no judiciário. Além disso, o MP e judiciário recebe em média R$45.000,00 por mês em flagrante desrespeito ao teto. E são tantos benefícios medievais que dá nojo. Como podem lutar contra a corrupção se dentro de casa é repleto de irregularidades. A PEC do teto seria uma saída, mas sabemos que o legislativo tem rabo preso e mesmo que passe eles inventam outra forma imoral de burlá-lo e continuar a sacanagem.

Janot e cia.

olhovivo (Outros)

Depois desses escândalos envolvendo JBS, Miller, Janot e Cia., vocês ainda se acham merecedores de aumento de subsídios? E não ficam corados?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 13/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.