Consultor Jurídico

Entrevistas

Política central

"Brasil precisa definir medidas além da internação para jovens infratores"

Comentários de leitores

6 comentários

Analise Parcial de Dados

NICOLAS COELHO (Advogado Autônomo - Empresarial)

Roubo Qualificado é metade dos casos de internamento, o autor também não tratou estupros como crime grave. E pior, trata roubo qualificado como um ato menor e sem importância. Como pode se levar a sério uma análise dessas?

É possível melhorar o atendimento socioeducativo

jose benedito rodrigues (Funcionário público)

Não se trata apenas de cuidar da liberação de mais vagas para atender a demanda socioeducativa de internação ou de semiliberdade. O que se pode fazer é uma nova reestruturação em busca de melhorar o modelo já aplicado no atendimento inicial, semiliberdade e meio aberto. Entendo que construir mais unidades denotaria de certo modo que a problemática hoje vivenciada não terá mais fim, além dos altos custos para construção e para a manutenção das novas unidades. Entendo também que, se investirmos mais nas medidas alternativas como a advertência ou medida restaurativa e mesmo nas de meio aberto é possível atender uma grande demanda hoje apresentada.

Interessante

Observador.. (Economista)

É que ninguém fez a pergunta correta...
A legislação e a forma como a sociedade, através do seu Judiciário, se comporta quanto aos seus menores, melhorou ou piorou o comportamento e a vida destes?
Mais menores foram cooptados por quadrilhas.
Mais crimes graves passaram a envolver menores, que antes resolviam suas querelas com brigas no pátio de escola, e agora - muitas vezes - partem para crimes com facas, armas ou métodos mais cruéis de "punir" outros menores com quem tenham desavença ou sejam considerados adversários.
Menores tem se tornado mais desrespeitosos com figuras de autoridade, do Professor em sala de aula até o Guarda da esquina.
A praticamente certeza da impunidade, diante da gravidade de algumas de suas ações, gera um ambiente propício a que mais crimes ocorram.
Deveriam apresentar gráficos de como era antes e como se tornou , à partir das chamadas legislações inovadoras, o comportamento dos nossos jovens na sociedade onde estão inseridos.
Pois as boas intenções não podem ser um fim em si mesmas.
Precisamos nos tornar um país onde o resultados das ações, propostas pelo Estado, possam ser corrigidas caso o efeito seja o contrário do proposto.
Só assim evoluiremos.

República

O IDEÓLOGO (Outros)

Urge dominar esses menores, verdadeiros flagelos sociais, mandando-os para abertura de estradas na Amazônia, quando poderão fazer alguma coisa em benefício da República.

Punição compatível com a gravidade do crime

Alexandre S. R. Cunha (Economista)

Achei a entrevista enviesada. O entrevistador tomou posição clara em algumas perguntas.
O entrevistado disse que a CF 88 não admite retrocessos, mas quem foi que determinou que reduzir a idade penal é retroceder?
De qualquer forma, o modelo russo, citado na entrevista, já seria um avanço em relação à permissividade atual.

Administração militar

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Desde a redemocratização do Brasil, a instituição que efetivamente segue à risca a sua missão constitucional são as Forças Armadas. Nos últimos anos, os militares vêm sendo desafiados a assumir o controle do País de forma abrupta e têm reiterado o respeito às instituições democráticas e à Constituição. Respeito esse que instituições como o Poder Judiciário vêm negligenciando. Muitas escolas públicas em todo o Brasil elegeram a administração militar através da manifestação de vontade de pais, alunos e professores. E estão TODOS muito satisfeitos com os resultados. Esse modelo poderia ser adotado na Fundação Casa

Comentar

Comentários encerrados em 18/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.