Consultor Jurídico

tecnologia jurídica

Ranking de startups lista as 10 LegalTechs mais atraentes para o mercado

O Ranking 100 Open Startups, que compila as startups mais atraentes para o mercado corporativo, anuncia nesta quarta-feira (27/10) as Top 10 LegalTechs — startups que misturam Direito e tecnologia de forma a encontrar mecanismos e soluções para facilitar a rotina jurídica, como softwares de gestão, ferramentas digitais e contatos e escritórios on-line.

Depositphotos

As dez startups de destaque no setor de tecnologia legal são: netLex, Oystr, Kronoos, Acordo Fechado, JUSTTO, clickCompliance, CONTRAKTOR, Deep Legal analytics, Privacy Tools e Docato.

O netLex, de Belo Horizonte, ficou na primeira colocação. É um dos pioneiros na automatização da gestão do ciclo de vida dos contratos. A startup criada em 2014 tem o objetivo de trazer mais tecnologia para a elaboração e gestão de documentos por meio de sua plataforma proprietária de "Contract Lifecycle Management", uma ferramenta inteligente, focada na automação de processos.

A segunda colocada, a curitibana Oystr, produz robôs de captura, movimentação e protocolos que ajudam escritórios de advocacia a interagir com sistemas de tribunais e clientes. Os robôs simulam atividades rotineiras, mecânicas e burocráticas do dia a dia dos setores jurídicos. Já a Kronoos fornece análise de dados voltada ao compliance e prevenção à lavagem de dinheiro.

Dentre as outras LegalTechs do Top 10 destacam-se serviços de tecnologia para conciliação, monitoramento e comparação de processos, privacidade e proteção de dados, e outras soluções de compliance e documentos empresariais.

Setor em alta
66 LegalTechs presentes nesta edição validaram, com corporações, contratos de open innovation (inovação aberta) — iniciativas colaborativas que buscam promover ideias para melhorar o desenvolvimento e a eficiência de produtos e serviços de empresas.

O número representa um crescimento de 230% com relação ao último ano. As startups jurídicas também tiveram um aumento de 315% na intensidade dos relacionamentos desenvolvidos com as corporações.

Os setores industriais que mais absorveram soluções dessa categoria foram os serviços profissionais e comerciais, seguidos por serviços financeiros e alimentos e bebidas.

"Das startups premiadas na categoria, cinco são novas em relação ao Ranking 2020, o que demonstra que o setor de tecnologia legal tem buscado soluções inovadoras das startups, mesmo sendo um dos mais impactados pela pandemia", indica Rafael Levy, CTO e cofundador da 100 Open Startups.

No geral, as atividades de inovação aberta com todas as startups dobraram desde o último ano: em 2020 foram declarados 13.433 relacionamentos; em 2021, foram 26.348. Dentre as mais de 18 mil startups cadastradas, 2.414 firmaram contratos de open innovation com corporações neste ano, contra 1.310 do ano passado.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de outubro de 2021, 15h24

Comentários de leitores

1 comentário

Faltou a principal...

Eliel Karkles (Advogado Autônomo - Civil)

Tem uma startup na modalidade LegalTech que permite que a parte vá direto ao judiciário SEM advogado, chamada Eu Processo (www.euprocesso.com.br) e isso vai criar uma grande disrupção no mercado jurídico. Questão de tempo.

Comentários encerrados em 03/11/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.