Consultor Jurídico

Novo condômino

Após guerra judicial, gato Frajola ganha status de "pet comunitário"

O juiz leigo Davi Olegário Portocorrero Naveira, da 11ª Vara do Juizado Especial Central de Campo Grande, decidiu pela permanência do gato Frajola em um condomínio residencial, sob pena de multa de R$ 20 mil a quem ousar retirá-lo do local, "sem prejuízo de majoração da multa ou da imposição de medidas mais drásticas em caso de recalcitrância". 

Frajola teve permanência em condomínio assegurada após decisão judicial
Divulgação

A decisão, que confirma liminar concedida em agosto do ano passado, se deu após demanda judicial entre os tutores do animal e o síndico do condomínio. Com a decisão, Frajola ganhou status de "animal comunitário" e não corre o risco de ficar desabrigado. Para decidir, o julgador levou em consideração laudos veterinários que apontaram que o gato não poderia ser adotado, já que vive há quatro anos solto no condomínio e, caso fique trancado em uma residência, tentará fugir. A decisão deve ser homologada pelo juiz de Direito em substituição legal.

Apesar das alegações de que o gato provocaria prejuízos, como arranhões em carros, o juiz apontou que não foram apresentadas provas sobre os supostos danos causados pelo bichano. "Em verdade, ao que tudo indica, o único efetivo problema suportado pelo gato Frajola é com a ameaça de alguns moradores", pontua o juiz. Em agosto do ano passado, uma equipe policial chegou a ir ao condomínio para apurar denúncias de maus tratos contra o animal — segundo um dos relatos, uma moradora teria jogado um rojão na direção do gato. O titular da Delegacia Especializada em Repressão à Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista intimou alguns moradores para que prestassem depoimento.

O magistrado determinou que o gato deve permanecer no condomínio sob os cuidados comunitários e dos tutores legais, desde que zelem pelos cuidados com higiene, saúde e alimentação do animal e pela limpeza do local por onde o felino perambula.

0814876-43.2021.8.12.0110




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de janeiro de 2022, 18h40

Comentários de leitores

2 comentários

Intolerância a Animais

Rosemari Brevesteky (Outros)

Parabéns ao Juiz por sua Decisão Sábia

Situação esquisita nossa !

ielrednav (Outros)

Manter limpo o local por onde o felino perambula
fatos atipicos .Oras todos sabem que gatos gostam de telhados caçando passarinhos ou pombos fazem sujeira onde lhe apraz quer dizer os (as) pessoas do condominio devem subir no telhado e limpar o estrume do animal até nas calçadas, que situação mais esquisita de um caso na justiça bom há de se entender na verdade usa uma venda nos olhos ? O gato ganhou direito de fazer o que bem entende e o zelador deve ater-se ao mandado do desembargador caso contrario sofrera as penalidades previstas no direito do animal isso é um caso infraconstitucional.Ai Frajola parabens boa sorte nem precisa caçar ratos .

Comentários encerrados em 20/01/2022.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.